quinta-feira, julho 24, 2008

Loba Romana morde a revista Isto é

Totalmente inexata e confusa a matéria publicada sob o título “A Idade da Loba”, nas edições impressa e online desta semana da revista Isto é. Segundo a revista, a estátua da Lupa Capitolina, “representando a loba que teria amamentado os gêmeos Rômulo e Remo, lendários fundadores de Roma,” seria mais recente do que se supunha até agora. “Os historiadores sempre acreditaram que (o monumento) fora erigido por volta de 500 anos antes da era cristã”, porém na “semana passada ocorreu uma reviravolta envolvendo tal marco: arqueólogos revelaram que a estátua é datada do ano 1300 a. C (sic), ou seja, Roma é mais jovem do que se supunha – pelo menos se continuar a manter a loba como emblema de sua fundação”, afirma a matéria.
A informação errada é repetida duas vezes no texto, que atribui a uma historiadora e restauradora italiana a declaração de que a técnica utilizada para fundir a estátua era " utilizada por volta do ano 1300 antes do início da era cristã".
Não bastassem equívocos de 26 séculos, a matéria tira a conclusão que a nova datação sugere que a "cidade de Roma é mais jovem que se supunha". Será que a jornalista está sugerindo que Roma foi fundada depois de 1300 AD???
O mesmo assunto (sem equívocos de datação!) aparece esta semana na USA Today, porém fala-se em século oitavo ou nono depois de Cristo, como nova data presumível para a estátua.
Além do absurdo equívoco da Isto é quanto à datação, não há nada de muito novo nessa história. O jornal italiano La Repubblica publicou uma reportagem sobre o assunto, em fevereiro do ano passado, afirmando que a estátua definitivamente não era etrusca e sim medieval.
É provável que a confusão da jornalista da Isto é tenha sido gerada pelo costume "politicamente correto" de alguns autores e jornalistas, principalmente norte-americanos, que estão substituinto a.C, antes de Cristo (ou b.C. em inglês) e AD (Anno Domini), por BCE (Before the Common Era, ou Before the Current Era) e CE (Current Era), supostamente para não ferir suscetibilidades de leitores "não cristãos"...

marcos palacios

Marcadores: , , , ,

2 Comments:

Blogger Blog do Capeta said...

Erros cada vez mais ridículos têm acontecido. Reflexo de um despreparo intelectual absurdo de um jornalismo cada vez mais feito a facão, através da internet. Os culpados? Todo mundo: especialmente, as universidade, empresas, sindicatos e outros pilares do protecionismo. Duvido que se o jornalista tivesse uma formação história menos porca isso teria acontecido.

4:50 PM  
Blogger Israfel Allan said...

:: Pois é! E ainda há muitos jornalistas e mesmo empresas de comunicação que são contra o diploma. À parte a questão corporativista, é inegável que se continuar nessa depreciação, alguém terá de apagar a luz quando sair!
Tem gente que acha que nos dias atuais o talento basta. É preciso ser sistematicamente bem formado e constinuar estudando, M-U-I-T-O, o que uma leve consulta à web ou a uma enciclopédia não resolve!
@_@♫
► ◄

4:39 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home