quinta-feira, julho 10, 2008

Manipulação de fotografia dos mísseis iranianos

Saiu no estadão e em outros sites de agências.

Foto de testes iranianos tem míssil incluído digitalmente.

Foto original: Associated Press

Imagem que prova lançamento de novos projéteis mostra quatro mísseis, quando na realidade são três.

Foto "Fake": Reprodução/ The New York Times

Uma das imagens dos testes de mísseis do Irã realizados na quarta-feira, 9, distribuída pela agência France Presse foi alterada, segundo aponta o blog do jornal americano The New York Times. A fotografia que apresenta quatro mísseis lançados no deserto do Golfo Pérsico teve um dos projéteis incluídos digitalmente.

Nesta quinta-feira, a Associated Press distribuiu a imagem idêntica, da mesma fonte, mas sem o quarto míssil. Na fotografia alterada, nota-se que o segundo e o terceiro projétil (da esquerda para a direita) são idênticos e estão na mesma trajetória. Porém, a fumaça no solo é igual à apresentada pelo quarto projétil lançado. Além disso, o caminhão que está no original distribuído nesta quinta desaparece.

A France Presse reconheceu que a imagem, obtida da agência iraniana Sepah News, responsável por divulgar as informações da Guarda Revolucionária iraniana, foi retocada e teve um míssil acrescentado. A Sepah divulgou a versão original sem dar maiores explicações. A fotografia está nas capas dos principais jornais do mundo todo, como o Los Angeles Times, Chicago Tribune, o espanhol El Pais, inclusive jornais no Brasil, como o O Estado de S. Paulo.

O NYT sugere ainda que a alteração pode ter sido feita pela agência iraniana por meio do Photoshop, ressaltando que a acusação já foi feita anteriorimente mas que não há provas de envolvimento de autoridades iranianas na manipulação da imagem.

O Irã anunciou na quarta-feira que os mísseis novos teriam capacidade de alcançar o território de Israel, a Turquia, a Península Arábica, o Afeganistão e o Paquistão. "Teremos sempre o dedo no gatilho e nossos mísseis estão prontos para ser lançados", disse general Hossein Salami, comandante da força aérea da Guarda Revolucionária na quarta para a agência oficial Irna.

Postado por Afonso Jr.

Marcadores: , , ,

2 Comments:

Blogger Paulo said...

Nos tempos de hj como saber se não foi o contrário, a AP é que apagou um míssil? hehehe

11:13 AM  
Blogger Israfel Allan said...

:: Faço coro com o Paulo: Pior, tal como comentei no jornal Zero Hora, ou seja: 1. Este mundo está nas mãos de muitos loucos que têm varias modalidades de morte; 2. O fato de ter sido grosseira tal alteração não só prova o modo "brincalhão" que são encaradas as "coisas" sérias.
Como o discurso científico desabou na pós-modernidade, o ideal seria redescobrir a realidade, que cada vez mais parece estar no sujeito e não no objeto.
@_@♫
► ◄

11:26 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home