quarta-feira, agosto 27, 2008

Correio da Bahia circula com cara e formato novos

A partir de hoje o Correio da Bahia circula em novo formato (berliner), totalmente redesenhado e com preço de capa de R$1, contra os R$ 1,75 cobrados até ontem.
A edição integral pode ser acessada em pdf flip, no site do jornal que também tem novo design.

marcos palacios

Marcadores: ,

4 Comments:

Blogger Pablo Barbosa said...

Já era hora de uma reestruturação no Correio da Bahia. Já li o conteúdo na web e no impresso e tenho algumas breves considerações.

A primeira delas é a ausência dos contatos dos repórteres e editores (e-mails ou telefones) em ambos os formatos.

O site precisa de ajustes, especialmente, na seção Fórum, pois a lista de comentários ultrapassa a dimensão da página e fica sobreposta a marca da Rede Bahia no rodapé.

Quanto ao critério jornalístico, não achei adequado lançar um novo produto com a matéria defasada. A pesquisa que originou a reportagem sobre a inversão do fluxo migratório possui mais de um mês.

Por fim, na busca do mais leve comentário tendencioso (apenas por força do hábito), encontrei na página 30 a imagem de ACM Neto (descontextualizada) junto a Pinheiro. Digo isto porque o título da matéria ao lado é João Henrique mira em Petista e Tucano. Portanto, qual o sentido da foto e da legenda: Líder, ACM Neto gravou ontem (?)

Como síntese, acredito que as pequenas falhas não tiram o mérito de um novo formato, do compromisso de inovar no jornalismo baiano e produzir um conteúdo sério e de qualidade. Enfim, agora é hora de ajustar as arestas.

10:08 AM  
Blogger Suzana Barbosa said...

É bom ver que os empresários baianos de comunicação estão se movendo.
Quanto ao site, a reformulação já era mais que necessária. Agora, o Correio da Bahia online passa a incorporar: blogs escritos por seus jornalistas-colunistas-editores, seções "Multimídia" (vídeos, galerias...), seção de interação com os usuários. Inovação para o que se tinha até então, mas nada tão novo assim no que se refere às tendências para o jornalismo digital. Vamos acompanhar.

Suzana Barbosa

11:24 AM  
Blogger Moisés Brito said...

É inegável que temos um ganho com um jornal mais ágil, com um layout diferenciado, e com a renovação do site. Mas, como jornalista gosta de reclamar... Estava na festa de apresentação do novo jornal e fiquei surpreso em saber que "em janeiro de 2009 a Rede vai lançar a versão 2.0 do site". Até lá espero que já não seja tarde!

5:57 PM  
Blogger Fernando Firmino da Silva said...

Na minha opinião o mais importante é a concorrência que se estabelece
de fato. Especificamente em relação aos projetos impresso e online, o primeiro deu um salto em relação à paginação jurássica do anterior. Entretanto há um erro fatal: as linhas coloridas horizontais enganam a percepção do leitor. Dá a entender que elas (como classicamente se utiliza para separar blocos de notícias) serviriam para separar matérias de cima e de baixo quando na verdade é um conteúdo só. Isto confunde o leitor. Outra coisa: algumas matérias começam numa página e continuam na posterior, mas o leitor não consegue perceber esta sequência. Todo designer de informação ou diagramador sabe que a função do design e de um projeto gráfico é informar e não apenas estabelecer estética. Tipologias, cores e elementos gráficos são a base para isto. Mas também todo redesenho necessita de ajustes e isto pode ser feito.
Quanto ao site não tem nem o que comentar. Nem mesmo a idéia de
notícias 24 horas está bem estabelecida. E a proposta de uma redação multimídia? Por que não se reflete no site? Para uma empresa que tem rádio, televisão, jornal e internet foi pouco explorado os recursos possíveis.

Fernando Firmino

8:25 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home