domingo, setembro 20, 2009

Criada a ANABA: Associação Nacional dos Blogueiros Anônimos

A proibição do anonimato em manifestações jornalísticas sobre as eleições, que faz parte das reformas eleitorais aprovadas pela Câmara, no que diz respeito ao uso da Internet no processo eleitoral, motivou a criação da ANABA (Associação Nacional dos Blogueiros Anônimos).
Conheça os estatutos.

marcos palacios

Marcadores: , ,

1 Comments:

Anonymous e-fernandes said...

O blog anônimo e suas variações

O tema da ciberdissidência e dos blogs anônimos foi abordado no blog comunitário francês Atelier des Médias [http://atelier.rfi.fr/profiles/blogs/emission-964-bloguer], produzido pelo jornalista da Rádio França Internacional, Philippe Couve. Três entrevistados deram conselhos para os blogueiros que, em seus países, enfrentam censura e repressão por publicarem na internet posts de informação e opinião oposicionistas.

O blogueiro e jornalista congolês, Cédric Kalongi, enumera quatro astúcias:
1. Indentificar bem o objetivo a ser atingido e definir a posição: não deixar dúvidas sobre suas tendências políticas. Havendo afinidade com algum partido é melhor avisar logo no começo. A indefinição pode ser perigosa.
2. Fatos, somente fatos: basear-se em fatos verificados pode evitar problemas. Com ou sem razão, os blogueiros têm reputação de publicar sem investigar e de não respeitar a deontologia.
3. Citar nomes e atacar diretamente pode criar complicação. Tratando-se de dirigentes políticos ou militares, a coisa termina as vezes em prisão e assassinato. "Minha receita pessoal é falar de situações sem mencionar nomes".
4. O ideal é ser neutro. Os visitantes do blog não são bobos, sabem distinguir as intenções e confiam no autor do blog.

A diretora do serviço internet da ong Repórteres Sem Fronteiras, Clotilde Le Coz, diz que o maior risco é o rastreamento do endereço IP (n° de identidade) do computador usado pelo blogueiro. Ela recomenda os proxys anônimos que permitem apagar o endereço. "Perigo maior ainda é o e-mail que serve de pista para que o ativista seja encontrado".

Sami Ben Gharbia, da ong Global Voices, aconselha o uso de pseudônimo e a criação de uma conta e-mail falsa. Ele sugere a utilização de plataformas livres (wordpress.com e googleblogspot.com) que permitem a mudança do dia e da hora da publicação do post e que atrasam automaticamente (2 a 3 horas) a publicação para que o internauta tenha tempo de sair do cibercafé.

Todos afirmam que o blogueiro, anônimo ou identificado, tem um compromisso com a responsabilidade editorial.

10:19 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home